segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Meu avô e o SAMU




Hoje ouvi um relato de uma pessoa que amo muito, a minha querida Tia Leó, vou tentar reproduzir a todos vocês o que aconteceu.
Por volta das 4:20 meu avô, o Seu Chico levantou da cama (ele deita e levanta o tempo inteiro, ainda não conheci pessoa mais agoniada do que ele), e levou uma queda (claro que aconteceu mais coisa, mas eu não estava lá então não há como dar mais detalhes). Estava aos gritos de dor quando a tia Leó ligou para o SAMU, um filho de chocadeira atendeu e quando a minha tia disse o que estava acontecendo (senhor de 97 anos, caiu e quebrou a perna, não tinha como locomovê-lo) houve o seguinte diálogo:
 - Ele tá mexendo o pescoço?? Se está mexendo o pescoço tem como levar ele de carro pro hospital.
- Está, mas ele está sentindo muita dor, é muito pesado e não temos nenhum carro aqui.
- Acorda alguém, chama algum vizinho, porque não tem como mandar alguém aí agora não.
- Pelo amor de Deus moço, se vocês não vierem quem vai ajudar? É o trabalho de vocês!
OBS: Em nenhum momento ele disse que não havia nenhuma ambulância no local .
E nesse momento a indignação começou a tomar conta de mim e eu não consegui mais prestar atenção no que ela contava dessa ligação. O fato é: o nosso maravilhoso serviço de urgência/emergência público não serviu pra P%$#@ nenhuma! A minha tia que não dirige, não tem carro, teve que ligar para outra tia ir ajudar ela a levar o meu avô pro hospital (depois de uma hora tentando conseguir ajuda)!
A obrigação do SAMU e do sistema público de saúde é dar toda a dignidade possível para a população que precisa desse atendimento, e não sei quem teve a ridícula ideia de colocar pessoas sem nenhuma capacitação para triar essas ligações com pedidos de socorro (pois obviamente uma mulher de cinquenta e poucos anos não ligaria para o SAMU as 4:30 para passar trote!).
Agora o meu avô está internado no hospital do Gama aguardando uma cirurgia, mas ele só está lá graças as pessoas que colaboraram para isso, pois se dependesse daquele filho de chocadeira o meu avô estaria morrendo de dor em casa.
Não consigo expressar em palavras o que sinto nesse momento, só espero, de todo o meu coração, que ao precisar de qualquer tipo de atendimento, esse homem que atendeu a minha tia pelo telefone seja tratado exatamente da mesma forma que ele tratou a minha tia e consequentemente o meu avô.



4 comentários:

  1. Infelizmente é assim mesmo, espero que muitas pessoas leiam e divulguem esse apelo, pessoas que trabalham nessa área precisavam levar mais a sério o problema das pessoas, além de ser obigação deles mesmos ajudar, sempre ficam várias vans do SAMU paradas, e eles não têem coragem de ajudar uma pessoa que pode estar correndo risco de vida, sinceramente, espero que um dia eles precisem de algum atendimento e recebam o msm tratamento! De: Leonardo Marques

    ResponderExcluir
  2. É Léo, vc acredita que eu ainda vi gente falando que o SAMU não tem q prestar esse tipo de serviço, somente quando for realmente uma emergência?!! Pimenta nos olhos dos outros é refresco mesmo!!!!

    ResponderExcluir
  3. Ainda bem que existe a tão famosa LEI DO RETORNO... e a certeza do que se planta é exatamente o que se colhe.

    ResponderExcluir
  4. Existe sim, aqui se faz, aqui se paga!

    ResponderExcluir